Nosso propósito

Jesus Cristo derramou seu sangue na cruz para nos salvar do pecado, e por seu precioso sangue Ele lavou o nosso pecado para sempre e Ressuscitou. Embora Jesus não tenha escrito um único livro enquanto estava na terra, o Senhor espalhou o Evangelho e ensinou e levantou discípulos. Após a morte de Jesus, o Evangelho se espalhou pelos doze apóstolos que o Senhor havia ensinado e levantado. Os apóstolos, que se tornaram servos e testemunhas do Senhor da ressurreição, testemunharam com ousadia o Evangelho que, pela morte e ressurreição de Cristo, fomos perdoados do pecado e justificados. A maioria dos apóstolos, assim como os pais pós-apostólicos, como Policarpo e Inácio, sofreram o martírio ao pregarem o Evangelho de acordo com os registros dos historiadores cristãos.

        No entanto, o Evangelho se espalhou fortemente apesar da grande onda de perseguição, e onde quer que o Evangelho fosse, sempre havia calúnia, confronto e perseguição. Houve um grande sacrifício e esforço da Igreja, que amou o Evangelho por nós, para recebermos esse Evangelho. O judaísmo perseguiu o Evangelho que começou a se espalhar em Jerusalém por Jesus Cristo, assim como foi perseguido pelo Império Romano. O Império Romano, que era o centro do mundo, foi conquistado pelo amor de Cristo e, finalmente, o Império Romano reconheceu oficialmente o cristianismo. No entanto, quando a perseguição desapareceu, a Igreja começou a se afastar de Jesus, a quem eles adoravam durante as dificuldades, e começou a se corromper com o mundo. Durante a Idade Média, a Igreja Católica Romana emburreceu as pessoas por meio de falsas doutrinas, e elas conseguiram ter grande autoridade e organização, concentrando-se em manter e expandir a autoridade da Igreja Católica Romana. Eles também cometeram um grande mal, como vender indulgências, aprovar julgamentos religiosos, caçar e executar bruxas etc. Mesmo entre todo esse mal, verdadeiros servos de Deus, como Peter Waldo nos anos 1200, John Wycliffe da Inglaterra nos anos 1300, Yarn Hous da Boêmia na década de 1400, Martin Luther da Alemanha e Tsbingley da Suíça na década de 1500, John Bunyan da Inglaterra na década de 1600, o Morávio na década de 1700, que influenciou o fundador da Igreja Metodista, John Wesley, e na década de 1800, verdadeiros servos de Deus, DL Moody e Charles Surgeon repreenderam a corrupção da Igreja e ousadamente espalharam a verdade de que não é pelas obras da lei, mas pela fé na graça de Deus e no Evangelho que Jesus nos fez justos.

        As falsas igrejas perseguiam continuamente os cristãos que estavam testemunhando o verdadeiro Evangelho, a fim de manter sua autoridade. A Igreja que deveria valorizar toda vida e cada alma, interrogou pessoas inocentes através de julgamento religioso e causou muitos sofrimentos aos cristãos. Onde quer que o Evangelho fosse, em qualquer instante seguia-se a perseguição. Policarpo, o discípulo do apóstolo João, e John Hous, da Boêmia, na década de 1400, foram ambos queimados. Wycliffe da Inglaterra, que foi chamado de “estrela da manhã da reforma”, morreu enquanto pregava o Evangelho. A Igreja Medieval o condenou como herege e removeu seus ossos enterrados e os queimou. Esta história trágica está sendo esquecida por muitos hoje em dia.

        Mesmo agora, muitas igrejas estão se afastando da verdade do Evangelho e sendo corrompidas. Muitas coisas mundanas estão entrando na Igreja. Os crentes estão cheios do mal e suas almas estão doentes. Muitas pessoas estão sob o pecado e sobrecarregadas pelas obras da lei, mas a igreja não pode salvar suas almas. A mulher adúltera foi condenada pelos fariseus quando estava diante de Jesus, mas Jesus a salvou e encheu seu coração com infinitos agradecimentos, o qual era antes cheio de vergonha e medo. O problema da maioria dos cristãos que frequentam a igreja, mas não foram libertados do pecado, é de responsabilidade em sua maioria dos ministros. Eles foram ensinados por teólogos humanistas, que negligenciam a Bíblia, e se tornaram ministros assim mesmo. Esses ministros não ensinam a Bíblia corretamente.

        Jesus Cristo já perdoou nossos pecados para sempre na cruz, e a verdade de que Jesus nos fez justos está registrada na Bíblia. No entanto, existem muitas pessoas que não estão livres do pecado. Esta igreja não é capaz de salvar as pessoas do pecado, e elas estão fluindo em direção ao materialismo e mantendo sua autoridade. Isso levou as igrejas a se separarem, e tornou-se comum as pessoas condenarem outros como hereges sempre que diferem deles. Eles não têm padrões bíblicos e estão fazendo “caça às bruxas” ao condenar outros como hereges.

        É por isso que a Missão Boa Notícia, liderada pelo Pastor Ock Soo Park, estabeleceu o CLF porque sentiram a necessidade da verdadeira reforma e renovação espiritual e para os ministros de todo o mundo perceberem a verdade e a graça da redenção de Cristo. Então, esperamos que esses ministros testifiquem esse verdadeiro Evangelho até os confins do mundo.

        O CLF testificará o Evangelho até que ministros de todo o mundo superem os muros de denominações e corpos religiosos e se unam na espiritualidade do Evangelho autêntico, até que Jesus volte. Apreciamos o fato de que mais ministros estão se unindo ao CLF a cada ano, e qualquer ministro com a vontade de espalhar o verdadeiro Evangelho baseado na Bíblia, em que nossos pecados foram perdoados por Jesus Cristo, é bem-vindo. Espero que todos os ministros estejam conosco nesta preciosa bênção de Deus, enquanto pregam com ousadia o verdadeiro Evangelho.

Presidente do CLF Pastor Yeong Kook Park
Pastor da Good News New York Church